COMO SABER QUANDO SUA RAIVA É SAUDÁVEL E O QUE FAZER QUANDO NÃO É



No contexto certo, a raiva pode ter sua função, mas pode facilmente se tornar um veneno

Eu ouvi o som de um vidro quebrando na cozinha e sabia que um dos meus filhos havia deixado cair outro prato. Não tenho orgulho da minha primeira reação. Deveria ter sido preocupação com a segurança do meu filho, mas, em vez disso, foi a raiva.

Em nossa casa, as crianças ao longo dos anos quebraram um número desmedido de pratos e copos.  Toda vez que eu ouço um vidro quebrar, tenho vontade de soltar um grito. Não consigo entender por que isso continua acontecendo e isso me deixa irracionalmente irado.

A raiva chama a atenção. As manchetes dos artigos online são escritas em um estilo controverso para gerar cliques, e as controvérsias são alimentadas por vários políticos para garantir votos. Depois de um tempo, a raiva se torna um hábito e transborda para nossas vidas pessoais.

Estamos ameaçando uns aos outros em textos em mídias sociais, cortando amizades por causa de divergências, e geralmente fomentando a inquietação sobre quem nos prejudicou e que tipo de castigo eterno e doloroso ele realmente merece. Mesmo os eventos mais tolos podem causar raiva.

Estaríamos melhor se respirássemos fundo coletivamente.

Embora dar vazão à raiva possa parecer algo satisfatório, no final isso nos torna vítimas. Pessoas com raiva sentem-se impotentes, e é por isso que reagem com tanta força. Pense em como os monstros online são responsáveis ​​por culpar tal pessoa ou corporação por arruinar nossas vidas. Nós nos sentimos vitimados pela vida em geral e direcionar a raiva para causas externas é uma maneira de tentar recuperar o controle, mas isso nunca funciona. A raiva é estressante. Ela afasta amigos e cria uma sensação constante de ter sido injustiçado. Um estilo de vida de agressividade constante destrói nossa capacidade de ficar com raiva de uma forma saudável, quando ela seria realmente necessária.

A raiva, como uma emoção, é neutra. No contexto adequado, tem seus benefícios. Quando vemos injustiças ou intimidações, é apropriado ter uma reação emocional a isso. A raiva, no entanto, precisa ser saudável. A pergunta que eu faço a mim mesmo quando escuto um copo quebrar em casa é: será que esta raiva que estou sentindo neste caso é saudável?

Como sabemos quando a raiva é prejudicial e quando é saudável? Aqui estão alguns pontos.

Raiva dos outros
Se eu estou com raiva porque o cinema ficou sem pipoca e isso não é justo porque “eu sou incrível e mereço pipoca”, isso não é saudável. Se estou constantemente furioso com meus patrões, com o motorista à minha frente ou com meus filhos por me incomodarem enquanto estou lendo, isso é um sinal de que é necessário ampliar a perspectiva. O mundo não gira em torno de mim. E todas essas pequenas coisas me incomodando representam um sinal de que eu sou egocêntrico. No entanto, se estou com raiva em nome de outra pessoa que foi injustiçada, isso é um sinal de empatia e preocupação.

Tenha certeza de que não é direcionada a uma pessoa
A raiva saudável é direcionada para uma injustiça ou um problema sistemático. Não deve voltar-se para as pessoas. Isso não quer dizer que pessoas específicas não nos causem raiva, mas geralmente isso acontece se houver falta de comunicação, ou se elas tiveram um dia ruim, ou o que quer que seja. Isso não necessariamente desculpa a pessoa, mas fornece um pouco de contexto e uma base para o perdão. Raiva saudável não tem como alvo pessoas e nem busca vingança. Centra-se nas causas subjacentes dos problemas em curso.

Deve ser temporária
A raiva como estado emocional permanente é problemática. Emoções vêm e vão, não podemos evitar isso. Sempre que nos sentimos irritados, nossa primeira reação deve ser fazer uma pausa, deixar a emoção de lado por um momento e fazer um exame razoável da causa. A raiva pode exigir uma resposta, ou podemos achar que isso é injustificado e precisamos deixá-la ir embora. A raiva é saudável quando nos faz reexaminar crenças e problemas.

Ofereça uma solução positiva
A raiva saudável busca resolver-se através de uma mudança positiva. Se estou com raiva de mim mesmo, isso é motivação para realizar algumas mudanças no estilo de vida, seja em mim mesmo ou no meu ambiente. Se estou chateado com uma injustiça, a raiva pode ser a motivação para ter coragem, falar e propor uma solução. A emoção da raiva nunca é um fim em si mesmo. Isso sempre nos motiva a tornar o mundo um lugar melhor.


Fonte: Aleteia
COMO SABER QUANDO SUA RAIVA É SAUDÁVEL E O QUE FAZER QUANDO NÃO É COMO SABER QUANDO SUA RAIVA É SAUDÁVEL E O QUE FAZER QUANDO NÃO É Reviewed by Eu e Deus on fevereiro 27, 2019 Rating: 5

Nenhum comentário: